Marketing

Big Brother Brasil: O Market Place ao vivo e em cores.

Heloisa Martins
·
2/2/2022

O BBB (Big Brother Brasil) é um reality show de tradição que tem tido muita audiência no país nos anos desde sua primeira edição em 2002. Através dos anos, o público assistiu os jogadores formarem casais, amizades, fazerem complôs e muito mais coisas em nome do grande prêmio. Na edição de 2019, contudo, o programa perdeu força e teve seu pior índice de audiência.  

Em 2020, então, a direção do programa decidiu formatar as configurações e o público conheceu o primeiro time de famosos, que na época contava com influenciadores digitais de longo alcance, como era o caso da Bianca Andrade, a Boca Rosa.   

Deu certo. O programa foi sucesso de audiência, entrou pro Guiness Book e apresentou ao Brasil três fenômenos de marketing pessoal e digital: Manu Gavassi, Juliette e Jade Picon. 


Jade Picon: Visagismo e estratégia de imagem.


Jade Picon é uma garota de 20 anos de idade, cujo patrimônio líquido alcançou os incríveis 57 milhões de dólares em 2020. Dona de sua própria marca de roupas, influência internacional (quem não viu ela de rolê com a Kylie Jenner?) e de um império nas redes sociais, Jade entrou para o BBB 22 como parte do grupo camarote (nome dado ao grupo de participantes famosos em contraponto aos participantes anônimos, denominados de ‘pipocas’)

Os memes sobre sua participação logo começaram a surgir em todas as redes sociais e muita gente acabou se perguntando sobre a riqueza da influencer e empresária. Será que ela tem mesmo todo esse dinheiro?

A resposta é sim. Em uma campanha publicitária, Jade recebeu 300 mil reais de uma marca de cosméticos apenas para mudar a cor do cabelo, dando início a diversas discussões na internet. Os assuntos passavam por saúde dos fios, propaganda enganosa, ascensão dos influenciadores digitais, marketing digital, colorimetria e etc. Em suas redes sociais, Jade ostenta marcas de luxo, viagens internacionais e muito glamour. A imagem que ela transmite é a de uma jovem mulher empoderada, dona da própria fortuna e independente. 

Já é sabido que os usuários de redes sociais atuam como voyeurs de riqueza e gostam de ver em fotos e vídeos do mundo luxuoso de alguns, mas será que essa imagem agradaria ao público todos os dias durante 3 meses?

Segundo os personal stylists, visagistas e psicólogos, a imagem pessoal é uma das grandes responsáveis pelo processo de identificação entre as pessoas. A primeira grande mudança de Jade foi a cor do cabelo. Ao escurecer os fios, Jade não entra como a garota propaganda milionária que recebeu muito dinheiro apenas para ficar platinada. O tom castanho também ajuda a trazer mais contraste ao rosto, passando uma imagem de doçura e acessibilidade - contrapondo a imagem distante e empoderada que olhos humanos captam ao ver rostos de baixo contraste. 

O comportamento de Jade está, até o presente momento, complementando essa estratégia. Sempre falando com tom de voz baixo e suave e realizando pequenos atos de serviço para os outros (o suquinho pra Linna), Jade torna-se uma pessoa educada e doce aos olhos dos outros participantes e do público. 

Em consequência disso, o nome dela está entre os assuntos mais comentados do Twitter quase todos os dias desde que entrou na casa, sempre com muitos elogios. Afinal, você já tinha visto uma milionária lavando banheiro e comendo rabada?


Juliette: O Instagram como arma poderosa.  


Advogada e maquiadora, Juliette entrou para o BBB21 como integrante do grupo pipoca, ou seja, não era famosa. Logo na primeira semana sofreu ataques xenófobos e enfrentou comentários maldosos acerca de seu comportamento e até sotaque. A exclusão que na casa estava sendo seu tormento, aqui fora a tornou um fenômeno. Juliette passou a ser orientada em suas ações pela legítima defesa - uma causa nobre aos olhos da grande maioria -, o que despertou no público um sentimento de favoritismo histórico pela paraibana. O nome dela estava sempre nos trending topics do Twitter e seu rosto estampado nos mais populares perfis de fofoca do Instagram.   

A sua equipe de gerenciamento nas redes sociais pegou essa onda e a transformou em um tsunami. Antes da estreia do programa, seu Instagram contava com menos de 3 mil seguidores, número que saltou para 25 milhões. 

O combo frequência + diversificação de posts no Instagram “encantou” o algoritmo, elevando o alcance do perfil. A produção de material fora da casa acompanhava o comportamento de Juliette lá dentro, com o uso de memes e de posicionamentos sérios a respeito dos ataques sofridos pela participante. A escolha de elementos remetentes à cultura regional nordestina na identidade visual e branding do conteúdo postado pela equipe despertou o sentimento de pertencimento, humanização e identificação do público, inclusive os que não eram nordestinos. Muito se via sudestinos e até sulistas falando de um tio ou um avô que veio do nordeste, como forma de buscar entrar neste grupo identitário. 

O engajamento de Juliette disparou. Para fins de comparação, Anitta contava à época com 1,7% e Beyoncé com 1,2%, enquanto Juliette atingiu a marca de 7,6% de engajamento (interação do público em suas redes, índice medido através do número de likes, visualizações de stories e respostas a enquetes, por exemplo, em comparação ao número de seguidores). 

O final todo mundo sabe: 1,5 milhões como prêmio no bolso, que foram multiplicados para 5 milhões em contratos publicitários.



Manu Gavassi, o início: Storytelling e Marketing Ativo   


Juliette mudou de vida após o Big Brother, mas o que levaria personalidades famosas e bem de vida a porem em risco suas reputações ao passar por tanta exposição para ganhar “apenas” 1 milhão e meio? Jade precisa disso? Com uma carreira no rap respeitada e consolidada em seu meio, Karol Conká precisava? O BBB20 mostrou aos famosos que, mais que o prêmio em si, eles poderiam conquistar muito mais relevância e expansão de público através de estratégias de Marketing Digital, iniciadas pela pioneira e visionária Manu Gavassi. 

Manu capinou a estrada pela qual Juliette passou. Até 2020, ano de estreia do novo formato, o estilo de marketing digital adotado pelas equipes dos participantes era totalmente passiva, fazendo uso apenas do material gerado durante o confinamento. Manu Gavassi mudou o jogo. 

Com material gravado antes do programa, Manu deixou pronto um sistema de comunicação direta com o público baseado nos possíveis acontecimentos dentro da casa, como uma forma de contar a história através de sua própria visão, num formato de narrador onipresente e onisciente semelhante ao grande sucesso da televisão norte-americana, Todo Mundo Odeia o Chris. Se ela fosse anjo, havia uma sequência de vídeos sobre isso. Se fosse líder, também. Se fosse emparedada, também… Tudo foi milimetricamente planejado. Os conteúdos de vídeos foram gravados com as mesmas roupas e acessórios que a cantora levou para usar lá dentro. O dia de indicar alguém ao paredão como líder, por exemplo, tinha um look previamente planejado pois o vídeo para este possível momento já estava gravado. Era tudo igual, roupa, acessórios e até a maquiagem. 

O branding da cantora e influencer era baseado na persona “a patricinha mais legal de São Paulo”. O público duvidou da estratégia e se ela conseguiria sustentar com coerência as suas ações em consonância com a personagem até o final. Mas Manu cativou o público com seu comportamento e posicionamentos, se manteve firme ao que mostrou ser, ao final, sua verdadeira personalidade. 

O paredão histórico entre Manu e Prior sacudiu o Brasil. Famosos como Neymar, Bruna Marquezine, Anitta e muitos outros montaram seus times e mobilizaram os usuários de internet numa batalha jamais vista. O resultado? Guinness Book de maior votação num reality show, que totalizou 1.532.944.337 bilhão de votos. A Globo? 850 mil reais por interseção de 30 segundos nos intervalos do programa. 

Manu não levou o prêmio pra casa, mas se tornou a rainha do Marketing no Brasil com contratos com a Samsung e Havaianas. Seu número de seguidores no Instagram saltou de 4,4 milhões para 15 milhões de seguidores durante os 3 meses em que esteve confinada.  


Faça como a Manu e use o NexBoard!


Manu apostou em materiais de vídeo para cativar seu público e conquistar notoriedade, abrindo espaço para Juliette, Jade Picon e muitos outros. O processo de gravação de seus vídeos narrativos levou dias e muito investimento de tempo e recursos financeiros, segundo a própria cantora e sua equipe. A lição foi dada às empresas, que passaram a adotar a mesma estratégia de humanização e proximidade, simulando quase que uma amizade com seus clientes.

Gravar vídeos de alta qualidade parece ser muito trabalhoso - e é - mas com as ferramentas certas pode se tornar muito mais fácil do que você imagina. Manu com certeza empregou muito tempo e investimento em inúmeras trocas de roupa e horas decorando falas, mas você pode ter a cara da sua marca com um avatar - e esse não vai se cansar… ufa!

O NexBoard te proporciona a melhor forma de produção de vídeos de forma inovadora, rápida e de altíssima performance. Com a gente você irá encontrar meios muito simples de produzir os vídeos certos para sua empresa através do uso de avatares, voz neural, formatação com fotos e vídeos e muito mais!